quarta-feira, 16 de abril de 2014

Olhar o "olhar" de Jesus



"Estando Jesus à mesa com os discípulos, sentiu-Se intimamente perturbado e declarou: «Em verdade, em verdade vos digo: Um de vós Me entregará». Os discípulos olhavam uns para os outros, sem saberem de quem falava. Um dos discípulos, o predilecto de Jesus, estava à mesa, mesmo a seu lado. Simão Pedro fez-lhe sinal e disse: «Pergunta-Lhe a quem Se refere». Ele inclinou-Se sobre o peito de Jesus e perguntou Lhe: «Quem é, Senhor?» Jesus respondeu: «É aquele a quem vou dar este bocado de pão molhado». E, molhando o pão, deu-o a Judas Iscariotes, filho de Simão. Naquele momento, depois de engolir o pão, Satanás entrou nele. Disse- lhe Jesus: «O que tens a fazer, fá-lo depressa». Mas nenhum dos que estavam à mesa compreendeu porque lhe disse tal coisa. Como Judas era quem tinha a bolsa comum, alguns pensavam que Jesus lhe tinha dito: «Vai comprar o que precisamos para a festa»; ou então, que desse alguma esmola aos pobres. Judas recebeu o bocado de pão e saiu imediatamente. Era noite. Depois de ele sair, Jesus disse: «Agora foi glorificado o Filho do homem e Deus foi glorificado n’Ele. Se Deus foi glorificado n’Ele, também Deus O glorificará em Si mesmo e glorificá l’O-á sem demora. Meus filhos, é por pouco tempo que ainda estou convosco. Haveis de procurar-Me e, assim como disse aos judeus, também agora vos digo: não podeis ir para onde Eu vou». Perguntou-Lhe Simão Pedro: «Para onde vais, Senhor?». Jesus respondeu: «Para onde Eu vou, não podes tu seguir-Me por agora; seguir-Me-ás depois». Disse-Lhe Pedro: «Senhor, por que motivo não posso seguir-Te agora? Eu darei a vida por Ti». Disse-Lhe Jesus: «Darás a vida por Mim? Em verdade, em verdade te digo: Não cantará o galo, sem que Me tenhas negado três vezes»" (Jo 13, 21-33.36-38).

O Evangelho deixou-me desconcertado: duas traições iguais.
Tive e tenho pena de Judas. podia ter sido o Santo maior da Igreja. Hoje percebi isso. O pecado, a traição de Judas não foi maior que a de Pedro...confesso que até a acho menor. Ficou encantado com o dinheiro. Pedro não tinha razões...só negou. Pior....negou.
Não há pecado maior do que negar sem mais. O outro negou com uma razão: dinheiro.
O que não se faz por dinheiro!!!
Impressionou-me quando li.
Judas não teve a capacidade de se deixar desfazer pelo remorso Pedro sim.
Judas não encontrou esperança e solução. Não procurou o olhar de Jesus. Pedro teve a coragem de O olhar. A diferença entre um e outro está nesse gesto. Pedro olhou-O, Judas fugiu....tb chorou. Pedro chorou porque teve a coragem de o olhar.
Só nos convertemos quando O olhamos. Quando não o fazemos «enforcamo-nos».
Judas podia ter sido o santo mais belo. Deus não queria que isso acontecesse. Sou tão Judas em tantas vezes!!!! Deus me dê a graça, como até agora de nunca me «enforcar» mas sempre o dom das lágrimas, de saber chorar o meu pecado. como a Pedro. Judas também se arrependeu e tanto mas não foi capaz.
É tão verdade e tão humano isto tudo. Podemos ser Judas e não voltar atrás.... podemos ser Pedro e não voltar atrás também mas continuar para a frente. A dor desfaz e Pedro desfez-se com a dor. Judas não resistiu à dor. Como é misteriosa a liberdade que Deus nos dá. Uma corda ou uma lágrima que nos faz escorrer do rosto.
Judas podia ter sido o santo maior e mais belo da história (o que foi Paulo senão isto?).
Pedro foi porque chorou.

Dá-me, Senhor, o dom das lágrimas de Pedro. Mas também, e porque não o arrependimento de Judas que ele nos mostra!!!! Mas só não quero a corda que ele viu como solução do arrependimento! Essa corda matou-o. Mas o que o matou não foi Cristo... foi o não ser capaz de perceber o Amor.... o amor maior de Deus que supera tudo, mas tudo o que é o maior pecado. Que entre mim e Deus nunca haja uma corda que me faça desistir do seu perdão.

Bastava Judas pedir perdão e olhar o "olhar" de Jesus!

Pedro O

Sem comentários:

Enviar um comentário