sábado, 18 de agosto de 2018

Comandar e obedecer




Comandar e obedecer

«Sabereis comandar quando tiverdes aprendido a obedecer.» «Quanto mais alto um homem sobe, de mais alto cairá.» Um leitor pede-me para comentar estas duas citações clássicas.

A primeira é uma máxima atribuída a Sólon, legislador ateniense e um dos “sete sábios” da antiga Grécia. A ideia será muitas vezes repetida: Platão, nas suas “Leis”, advertia que «quem não serviu, não pode tornar-se chefe digno de louvor».

Há, portanto, um aprendizado no saber guiar os outros: na família, no trabalho, na sociedade. E esse tirocínio não está no mandar, mas no servir e obedecer. Só assim nos formamos e estamos preparados para sermos capazes de suportar as dificuldades.

Só se estivermos em baixo é que conseguimos, uma vez no alto, compreender quanto é penoso o serviço diário, humilde e simples.

Por esta via chegamos à segunda frase, que na sua substância se refere a muitos autores clássicos e cristãos: a fórmula mais próxima é de S. Pedro Crisólogo, bispo de Ravena do século V.

O aviso toca, antes de mais, os poderosos que, muitas vezes do altar, são lançados para o pó, mas vale um pouco para todos e é um saudável antídoto para a ilusão do orgulho. Um antigo moto dizia: «Quanto mais alto é o monte, mais profundo é o vale».

A vida reserva surpresas a cada instante, e não raro desagradáveis. Por isso é preciso estarmos conscientes de que a glória e o sucesso são «como uma sombra que passa, como um navio que vai cortando as ondas agitadas, sem deixar rasto da sua passagem nem vestígio da sua quilha nas ondas» (Sabedoria 5, 9-10).

P. (Card.) Gianfranco Ravasi
In Avvenire

Oração para o momento presente



Oração para o momento presente

Querido Deus, eu passo tanto tempo a reviver o ontem
ou antecipando o amanhã...
que eu nunca perca de vista o único tempo que é realmente meu:
o momento presente.

Tu dás-me hoje um momento de cada vez.
Isso é tudo o que eu tenho,
tudo o que eu sempre terei.

Então, dá-me a fé que sabe que cada momento
contém exatamente o que é melhor para mim.

Dá-me a esperança que me leva a confiar em Ti
e esquecer as falhas do passado e os futuros julgamentos.

Dá-me o amor que faz de cada momento
uma antecipação da eternidade conTigo.

Peço-te em nome de Jesus
que é o mesmo ontem, hoje e para sempre.

Amen.

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Filho, confia, espera, descansa, te alegra!



Filho, neste momento eu quero falar contigo
Tenho visto tuas lágrimas e os teus gemidos
Sei que muito angustiado está teu coração

Filho, não esqueça que estou contigo em meio a essa aflição
São tantas dúvidas que perturbam o teu coração
Parece até que esquecestes do que já falei pra ti

Mas filho será que eu não sou fiel para cumprir o que eu te prometi?
Mesmo que pareça impossível, nada é impossível para mim
Eu tenho o controle de tudo em minhas mãos

Filho, eu preparei tudo isso pra te aperfeiçoar
Para moldar o teu caráter e teu coração provar
Não precisas entender, basta apenas confiar

Então por que tanta indagação?
Se eu já te disse que isso é permissão
Isso é prova e você tem que passar
Filho eu sei que está doendo
Mas saiba que nesta prova eu te acalento
É pra teu bem e no final tu entenderás

Então confia, espera, descansa, te alegra
Pois em tua vida eu estou a trabalhar
Filho meu, descansa confia em mim
Eu sou o teu Deus e luto por ti
Isso é permissão não indaga não
Pois no final tu irás cantar

Se tua vida está em minhas mãos
Se teu futuro está em minhas mãos
Se tua historia está em minhas mãos
Então porque tanta inquietação?
Se tua família está em minhas mãos
Se teu trabalho está em minhas mãos
Se tua saúde está em minhas mãos
Então porque tanta inquietação?

Filho, confia, espera, descansa, te alegra
Pois em tua vida eu estou a trabalhar
Filho meu, descansa confia em mim
Isso é permissão não indaga não
Pois no final tu irás cantar

sábado, 11 de agosto de 2018

Não és o centro do mundo

Não és o centro do mundo.jpg

Não julgues que és o centro do mundo. Não és. Procura o bem que podes fazer aos outros, não busques por aquilo que podem fazer por ti. Cada pessoa é um fim em si mesmo, ninguém é um meio, muito menos da tua felicidade. 

Quando não somos humildes perdemos a noção da realidade e, portanto, da verdade.  

O orgulho é um inimigo firme e provoca uma desgraça constante e crescente que exige ser alimentada, que escraviza a liberdade e amarra a vontade de todos quantos se julgam acima dos demais. Somos diferentes, mas perder tempo a avaliar quem é melhor ou pior é, em boa verdade, sinal de grande insegurança e triste fraqueza.

O egoísmo é o contrário do amor. Amar é dar-se e os egoístas querem tudo, tudo, para si. Não importa o sofrimento que isso pode implicar para outros, julgam que merecem tudo, tudo. 

Dirão alguns que o egoísmo é uma forma de amor a si mesmo, chegam até a argumentar que tal é um pré-requisito essencial a qualquer outra forma de amor. Errado! Amar é esquecer-se de si. 

O medo é o oposto da felicidade. Ninguém consegue viver com alegria escondido atrás dos seus próprios braços e longe das adversidades. Ser feliz implica vencer os medos e vencer-se, abrir os braços e aceitar o nosso lugar no mundo. O nosso tempo e no nosso espaço. O que somos e o que nos rodeia.

Não tenhas medo de ser feliz, ama. Por mais que isso te faça sofrer, aceita com humildade o preço a pagar para chegar ao céu já nesta vida e... na outra, aquela onde somos pesados de acordo com o peso dos pedaços de coração que fomos capazes de dar! 

José Luís Nunes Martins

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Para não nos esquecermos do que nos motiva





Vai…
Para sonhar o que poucos ousaram sonhar.
Para realizar aquilo que já te disseram que não podia ser feito.
Para alcançar a estrela inalcançável.
Essa será a tua tarefa: alcançar essa estrela.
Sem quereres saber quão longe ela se encontra;
nem de quanta esperança necessitarás;
nem se poderás ser maior do que o teu medo.
Apenas nisso vale a pena gastares a tua vida.
Para carregar sobre os ombros o peso do mundo.
Para lutar pelo bem sem descanso e sem cansaço.
Para enxugar todas as lágrimas ou para lhes dar um sentido luminoso.
Levarás a tua juventude a lugares onde se pode morrer,
porque precisam lá de ti.
Pisarás terrenos que muitos valentes não se atreveriam a pisar.
Partirás para longe, talvez sem saíres do mesmo lugar.
Para amar com pureza e castidade.
Para devolver à palavra “amigo” o seu sabor a vento e rocha.
Para ter muitos filhos nascidos também do teu corpo
e – ou – muitos mais nascidos apenas do teu coração.
Para dar de novo todo o valor às palavras dos homens.
Para descobrir os caminhos que há no ventre da noite.
Para vencer o medo.
Não medirás as tuas forças.
O anjo do bem te levará consigo,
sem permitir que os teus pés se magoem nas pedras.
Ele, que vigia o sono das crianças
e coloca nos seus olhos uma luz pura
que apetece beijar, é também guerreiro forte.
Verás a tua mão tocar rochedos grandes
e fazer brotar deles água verdadeira.
Olharás para tudo com espanto.
Saberás que, sendo tu nada,
és capaz de uma flor no esterco e de um archote no escuro.
Para sofrer aquilo que não sabias ser capaz de sofrer.
Para viver daquilo que mata.
Para saber as cores que existem por dentro do silêncio.
Continuarás quando os teus braços estiverem fatigados.
Olharás para as tuas cicatrizes sem tristeza.
Tu saberás que um homem pode seguir em frente
apesar de tudo o que dói, e que só assim é homem.
Para gritar, mesmo calado, os verdadeiros nomes de tudo.
Para tratar como lixo as bugigangas que outros acariciam.
Para mostrar que se pode viver de luar
quando se vai por um caminho que é principalmente de cor e espuma.
Levantarás do chão cada pedra das ruínas em que transformaram tudo isto.
Uma força que não é tua nos teus braços.
Beijá-las-ás e voltarás a pô-las nos seus lugares.
Para ir mais além.
Para passar cantando perto daqueles que viveram poucos anos e já envelheceram.
Para puxar por um braço, com carinho,
esses que passam a tarde sentados em frente de uma cerveja.
Dirás até ao último momento: “ainda não é suficiente”.
Disposto a ir às portas do abismo salvar uma flor que resvalava.
Disposto a dar tudo pelo que parece ser nada.
Disposto a ter contigo dores que são semente de alegrias talvez longe.
Para tocar o intocável.
Para haver em ti um sorriso que a morte não te possa arrancar.
Para encontrar a luz de cuja existência sempre suspeitaste.
Para alcançar a estrela inalcançável.

Paulo Geraldo