terça-feira, 16 de outubro de 2018

Outubro de 2018 | O Vídeo do Papa



A missão dos consagrados - O Vídeo do Papa
A alegria com que os consagrados e consagradas cumprem sua missão é uma bênção para todos. Ofereçamos a eles nosso apoio para que encontrem seu caminho acompanhando os mais desfavorecidos. "Os consagrados, com sua oração, pobreza e paciência, são essenciais para a missão da Igreja. Tanto religiosos, monges, freiras como outros leigos consagrados, graças a seu encontro pessoal com Jesus Cristo, podem oferecer suas vidas pelo Evangelho. Agradeço por suas vidas, tão próximas às famílias, aos refugiados, aos idosos, aos pobres, às crianças… Mais do que nunca, com os desafios do mundo de hoje, precisamos de sua entrega total ao anúncio do Evangelho em todos os cantos do mundo. Não nos deixemos roubar o entusiasmo missionário e rezemos para que os consagrados e as consagradas reavivem o seu fervor missionário e estejam presentes entre os pobres, os marginalizados e aqueles que não têm voz" Se quiser ver mais vídeos sobre as intenções do Papa, visite http://www.elvideodelpapa.org

sábado, 6 de outubro de 2018

Retrato do Padre



Um padre deve ser, ao mesmo tempo,
pequeno e grande,
de espírito nobre, com sangue real,
simples e espontâneo como um lavrador,
um herói no domínio de si,
um homem que lutou com Deus,
uma fonte de santificação,
um pecador que Deus perdoou,
senhor de seus desejos,
um servidor humilde para os tímidos e fracos,
que não se rebaixa diante dos poderosos
mas se curva diante dos pobres;
discípulo de seu Senhor,
chefe de seu rebanho;
um mendigo de mãos largamente abertas,
um portador de inúmeros dons,
um homem no campo de batalha;
uma mãe para confortar os doentes,
com a sabedoria da idade
e a confiança de um menino;
voltado para o alto, os pés na terra…
feito para a alegria,
experimentado no sofrimento,
imune a toda inveja, que se vê longe…
que fala com franqueza,
um inimigo da preguiça,
uma pessoa que se mantém sempre fiel.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Único fim: agradar a Jesus!



«Podes portanto […]
ocupar-te da “única coisa necessária”,
quer dizer,
que mesmo entregando-te com dedicação
às obras exteriores
seja teu único fim: agradar a Jesus,
unir-te mais intimamente a Ele.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897
Carta 257. A Leónia. 17 de julho de 1897
Jesus, meu senhor e meu Deus,
desejo com todas as minhas forças
que sejas Tu o único fim
de todas as minhas ações:
quer trabalhe, quer coma,
quer descanse, quer caminhe ou converse,
que eu tudo faça
com o coração posto em Ti
e por Teu amor.
Quero agradar-Te e fazer-Te feliz
com as minhas ações,
mesmo sendo tão pobres.
Assim seja.

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Tenho medo da mudança



Senhor, tenho medo da mudança que eu não instiguei.
“Por mais desconfortável que a nossa vida possa ser, 
por mais dolorosa ou até desesperante que ela seja, 
a vida que vivemos é a vida que conhecemos, 
e apegamo-nos ao antigo em lugar de tentarmos algo de novo. 
É inacreditável quão tenazmente nos apegamos 
àquilo que tanto pedimos que se afastasse de nós.” 

Marianne Williamson, A Return to Love

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Lágrimas que o amor faz voar




Se os sonhos que me fazem chorar são bons, por que razão não lhes hei de ser fiel? Porque sofro por eles? Não. Quem desiste do que pode e deve ser condena-se ao inferno de viver longe de si mesmo.
Ser feliz, nesta vida, é lutar pela felicidade e ser capaz de encontrá-la, até na desgraça. Se o fundo do meu poço pode ser sempre mais fundo, também é verdade que posso sempre erguer-me e lutar para que não o seja.

O normal é uma ilusão, uma forma simples de desistirmos de nós, em favor de uma ilusão que, de fora, se tenta impor a todos. Não há duas pessoas iguais no mundo…

Não sou feliz com os sonhos do outro, assim como não serei infeliz com os meus.

Três bons princípios de vida são: sonhar, ainda que doa; lutar pelos sonhos, mesmo quando tudo parece estar contra; ajudar os outros a sonhar e a lutar pela construção da sua alegria original, singular e autêntica.

As lágrimas que choro voam. Mesmo. Já fora de mim, tornam-se nuvens e regam as árvores que hão de florir no paraíso que sonho... e pelo qual luto e quero lutar.

As sementes que em mim plantaram e das quais devo cuidar, determinam o que fui, o que sou e o que posso ser. Mas se este tesouro me chegou de forma gratuita, não posso deixar de cuidar dele... sob pena de me perder.

Eu faço-me no meu caminho, com o amor de que for capaz.

Não há ninguém normal no mundo comum dos mortais... somos todos extraordinários… somos todos imortais.

José Luís Nunes Martins, 
(ilustração de Carlos Ribeiro)

Conseguiu