terça-feira, 18 de setembro de 2018

A pessoa que melhor escreveu sobre o amor




«A pessoa que melhor escreveu sobre o amor na era cristã foi Paulo de Tarso», diz Bono, vocalista dos U2

«Era um gajo duro. Superintelectual mas intenso e, claro, teve a experiência [de conversão] na estrada de Damasco. Passa a viver como fabricante de tendas. Começa a pregar e escreve uma ode ao amor, que toda a gente conhece como a Carta aos Coríntios: “O amor é paciente, o amor é gentil… O amor suporta tudo, acredita em tudo”.» Declarando-se «abençoado», Bono sublinha que «a graça e algumas pessoas realmente inteligentes» ajudaram-no: «A minha fé é forte. Lia os salmos de David continuamente. São espantosos. Ele é o primeiro “bluesman”, gritando a Deus: “Por que é que isto me aconteceu?”. Mas também há honestidade nisso»

Mais em http://www.snpcultura.org/a_pessoa_que_melhor_escreveu_sobre_o_amor_na_era_crista_foi_paulo_de_tarso_diz_bono_u2.html

domingo, 16 de setembro de 2018

Ele está simplesmente aqui


A imagem pode conter: oceano, céu, ar livre, água e natureza

Ele está simplesmente aqui,
e isso é tudo
o que faz e pode.
Mas na medida em que está aqui,
frágil e radioso,
é o próprio Deus que está aqui.
Deus está aqui por nós.
E o que nos diz este estar de Deus
no Menino de Belém?
Diz-me a mim,
diz a ti,
diz a cada homem:
é bom tu estares aqui.'

(Sebastião Nuno Silva)

sábado, 15 de setembro de 2018

Para que servem as tuas forças?

Para que servem as tuas forças.jpg

PARA QUE SERVEM AS TUAS FORÇAS?

Para que servem as tuas forças senão para atenderes aos mais fracos? Aqueles que nada podem fazer por ti… aqueles que quase ninguém quer ver.

O valor de cada pessoa depende do que é capaz de fazer por quem nada pode fazer por ela. Não se trata de uma qualquer reciprocidade, mas da pura gratuitidade do amor.

O movimento de ser é sempre uma emanação de mim para o outro. Ser é dar. Ser é ser para o outro. Até o egoísta o é porque se preocupa em explorar o outro até ao limite. 

Um problema da nossa sociedade é a fraca vontade de ser. Parece que cada vez há mais gente a arrastar-se. Têm forças que não usam e talentos que não trabalham. E porque são muitos a ser assim, onde devia haver relação há afastamento. Desertos onde devia haver jardins.

Ser é fazer real uma interioridade cheia de sonhos que são sementes de mundo.

Os dons pessoais que cada um de nós possui devem ser concretizados. É nossa obrigação procurar alimento e cuidado para os talentos de que somos capazes. São capacidades que devem evoluir, não são aptidões instantâneas e permanentes.

A vontade é a nossa maior força, assim a saibamos usar para, começando por reconhecer as próprias fraquezas, delas fazer motivo de superação.  

Em que podemos e devemos acreditar? O que dá sentido à vida, por mais dura que possa ser? O que nos pode salvar?

O amor.

Só o amor é digno de fé.

Faz-te forte, amando. 




José Luís Nunes Martins

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Ler a Sagrada Escritura



«Aprendam todos que nenhuma circunstância é obstáculo para ler a palavra divina; que é possível fazê-lo não apenas em casa, mas na praça, em viagem, na companhia de outros o quando estamos em plena actividade. Se fizermos o que está ao nosso alcance depressa encontraremos quem nos ensine. Porque o Senhor, vendo o nosso afã pelas realidades espirituais, não nos desprezará, mas antes enviar-nos-á uma luz do céu e iluminará a nossa alma. Não descuidemos, portanto – rogo-vos –, a leitura da Escritura.»

http://www.snpcultura.org/sao_joao_crisostomo_ler_a_sagrada_escritura.html

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

10 sugestões para usar as redes sociais em favor da saúde emocional e espiritual



10 sugestões para usar as redes sociais em favor da saúde emocional e espiritual

Excetuando talvez os eremitas, quase todos usam hoje algum tipo de redes sociais. O Facebook, Instagram, Twitter, Snapchat, LinkedIn e outras plataformas são meios para estar em contacto com família e amigos, fazer novas amizades e aprender e dar a aprender algo de novo. São também apropriados para fazer chegar o Evangelho a muitas pessoas em todo o mundo.

Todavia nem sempre têm impacto positivo na nossa vida. Sabemos todos o que se sente quando as redes sociais, ou melhor, pessoas que as utilizam, nos fazem enlouquecer. Se permitirmos às redes sociais que nos controlem, podem influir negativamente em nós a nível espiritual e emotivo. Por isso é importante proteger o nosso coração, refletir e estar atento à vida “online”.

Eis algumas sugestões que nos podem ajudar a usufruir das redes sociais, mas também a encontrar maior equilíbrio e paz na nossa vida na internet.

1. Não seguir pessoas enraivecidas
Não encha a cabeça com postagens e comentários de pessoas que atacam outras, que são pessimistas, provocadoras, enraivecidas ou que tendem a dividir, ou cujos pontos de vista não têm compaixão, cambiantes ou reflexões.

2. Decidir seguir pessoas santas e inspiradoras
Siga as pessoas cujas publicações revelam regularmente os frutos do Espírito Santo: caridade, alegria, paz, paciência, gentileza, bondade, generosidade, fidelidade, modéstia, autocontrolo e castidade. Procure pedir sempre inspiração e orientação do Espírito Santo na ação na internet.

3. Desligue-se quando for necessário
Quando sentir que a sua frequência cardíaca aumenta em demasia, desligue-se e pondere deixar de seguir as pessoas cujas postagens o fazem sentir desolação, raiva, desespero ou ansiedade supérflua.

4. Antes de responder a alguém que o deixou zangado, aguarde pelo menos um momento, ainda melhor uma hora ou um dia
Se sentir a necessidade de responder imediatamente, levante-se e dê uma volta, respire lentamente dez vezes e peça ao Espírito Santo para inspirar a resposta.

5. Todos erramos
Quando responder a alguém com raiva em excesso, peça desculpa, confesse-se e faça tudo o que for possível para voltar à normalidade, mas não pense continuamente na situação e não a faça reviver na sua mente. Não serve de nada. Afaste-se alguns dias das redes sociais, e no regresso evite as pessoas e páginas que são uma tentação para o pecado.

6. Fazer pausas
Programe longas pausas das redes sociais. Não só um fim de semana ou alguns dias, mas pelo menos uma semana pelo menos uma vez por ano. Equacione também fazer pequena paragens ao longo do dia. Escolha a cada dia momentos de “blackout”, quer seja bem cedo pela manhã ou antes de ir dormir. Esforce-se verdadeiramente para cumprir esses momentos e verá que lhe darão paz e criatividade, ajudando também as suas relações na vida real.

7. Por vezes é melhor bloquear sem procurar compreender o que está a acontecer
Não imagine o contexto em que alguém disse alguma coisa, na tentativa de discutir com a pessoa ou dar um sentido a um comportamento abusivo. Na maior parte das vezes não sabemos por que é que alguém faz ou diz alguma coisa de inapropriado na internet. Por vezes o melhor é ignorar, bloquear sem procurar compreender o que está a acontecer.

8. Controle o tempo passado “online”
Cada vez mais estudos sublinham como as redes sociais provocam dependências. Por isso não podemos confiar sempre na nossa autodisciplina para desligar. Aplicações como Stay Focused, Freedom e outras podem não só registar o tempo passado “online”, mas também evitar voltar a ligar quando o nosso tempo acabou. Estas “apps” são um bom investimento se notar um comportamento dependente na utilização das redes sociais.

9. Confie no instinto
Se receber uma mensagem, um pedido de amizade ou um comentário estranho, confie no seu instinto. Quando sentir que não deve responder, não o faça. Não tem o dever de interagir com qualquer pessoa que o queira fazer consigo. O silêncio é o seu melhor amigo “online”. Diga uma oração por essa pessoa e siga adiante.

10. Em primeiro lugar está a saúde
Peça ajuda a Deus para usar as redes sociais de uma maneira que o ajude a tornar-se mais santo. Antes de publicar alguma coisa, pergunte-se: «É isto que Deus quer que eu seja? É assim que Deus quer que eu aja?». Se a resposta é negativa, elimine o que está para posta e continue o seu dia.

As redes sociais são um dom de Deus, mas devemos usá-la de uma maneira positiva a nível emotivo e espiritual, ao mesmo tempo que nos conduzam à santidade.

O papa Francisco escreveu que as redes sociais «podem ser formas de comunicação plenamente humanas. Não é a tecnologia que determina se a comunicação é autêntica ou não, mas o coração do ser humano e a sua capacidade de usar bem os meios à sua disposição».




Ir. Theresa Aleteia Noble
In Aleteia