quarta-feira, 10 de julho de 2019

Perdurar no amor

Resultado de imagem para ovelha perdida

O que nos torna semelhantes a Deus não será, certamente, o nosso subtrair-nos aos outros, mas, ao contrário, a descoberta da possibilidade de durar no amor, muitas vezes em contraposição com o primeiro juízo emitido pela razão ou com o peso daquelas que consideramos ser as evidências.

Cedemos com grande facilidade à tentação de fechar portas, consumar ruturas, resignarmo-nos a certas perdas (ou também, cinicamente, delas nos tranquilizarmos).

Se assimilarmos como regra de vida o pragmatismo da expressão «dos presentes não falta ninguém» (pragmatismo mais espalhado entre nós do que talvez tenhamos consciência), não poderemos compreender porque é que o pastor, na parábola de Jesus, deixa as noventa e nove ovelhas no deserto e parte à procura daquela perdida (Lucas 15, 4,7).

Nem compreenderemos porque é que a mulher se dá ao esforço (negligenciando, provavelmente, outros afazeres mais imediatos e urgentes) para encontrar a moeda que tinha perdido dentro de casa (Lucas 15, 8-10). Não tinha ela outras nove na bolsa?

Nos itinerários pessoais ou comunitários que estamos a fazer, há um dado que emerge com suficiente clareza: não nos aproximaremos do mistério da misericórdia se não pusermos dentro de nós aquilo que o grande teólogo Nicolas Cabasilas chamou «o amor louco de Deus pelos homens». A verdade de Deus e incindível do amor.

D. José Tolentino Mendonça
In Avvenire

domingo, 7 de julho de 2019

São Bartolomeu dos Mártires

A imagem pode conter: 1 pessoa

Há um novo santo português, Frei Bartolomeu dos Mártires, um bispo que se afirmou como uma voz ativa na reforma da Igreja Católica no século XVI e como pastor junto das comunidades que serviu, nos territórios que hoje correspondem às dioceses de Braga, Bragança-Miranda, Viana do Castelo e Vila Real.

Frei Bartolomeu dos Mártires, de seu nome Bartolomeu Fernandes, nasceu em Lisboa a 3 de  maio de 1514, e é recordado como um modelo de benevolência e uma figura ímpar na dedicação à Igreja Católica.

O bispo português, que se afirmou como uma das vozes de referência no Concílio de Trento (1543 – 1563), um momento decisivo na história da Igreja Católica na altura confrontada com a Reforma Protestante; destacou-se também pela sua missão pastoral à frente das comunidades católicas do Minho e de Trás-os-Montes, com especial relevo para o seu gosto pelas visitas pastorais às populações, a que dedicava grande parte do seu seu tempo.

Ao longo do seu percurso, D. Frei Bartolomeu dos Martires ficou também célebre pela sua preocupação com a estruturação da Igreja Católica local, do clero às comunidades católicas, e pelo seu empenho nas causas sociais, de modo particular junto dos mais pobres e doentes,

Depois de resignar em 1582, por motivos de idade, Frei Bartolomeu dos Mártires viria a falecer em 1590, no Convento de Santa Cruz, em Viana do Castelo.

O bispo português foi declarado venerável a 23 de março de 1845, pelo Papa Gregório XVI, e beatificado a 4 de novembro de 2001, pelo Papa João Paulo II.

Segundo apurou a Agência ECCLESIA, na sequência da decisão do Papa não haverá uma cerimónia de canonização, mas a leitura do Decreto que inscreve Frei Bartolomeu dos Mártires no Livro dos Santos.

A cerimónia deverá ter lugar na Arquidiocese de Braga, no dia 10 de novembro, data em que começa a Semana dos Seminários.

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Integridade da Justiça



Julho de 2019: O Vídeo do Papa:

As pessoas encarregadas de administrar a justiça têm grande responsabilidade. Seu trabalho não é fácil, e tem consequências que afetam diretamente a vida das pessoas. Por isso, devem manter sua independência e imparcialidade para assegurar que a justiça tenha sempre a última palavra. "Dos juízes dependem decisões que influenciam os direitos e os bens das pessoas." Sua independência deve ajudá-los a serem isentos de favoritismos e de pressões que possam contaminar as decisões que devem tomar. Os juízes devem seguir o exemplo de Jesus, que nunca negocia a verdade. Rezemos para que todos aqueles que administram a justiça operem com integridade e para que a injustiça que atravessa o mundo não tenha a última palavra." O Vídeo do Papa difunde todo mês as intenções de oração do Santo Padre pelos desafios da humanidade e da missão da Igreja.

sábado, 15 de junho de 2019

Job



O Brasil ficou muito comovido no dia 27 de maio quando recebeu a notícia da morte do cantor Gabriel Diniz que faleceu num acidente de avião em Estância,no Sergipe.Todo o mundo artístico lamentou a partida do cantor de apenas 28 anos e que estava no auge de sua carreira musical.O cantor da música "Jenifer" fez o Brasil chorar.

No velório do artista, a namorada de Gabriel contou como foram os seus últimos momentos com ele no telefone. Gabriel contou-lhe a história bíblica de Job e enviou-lhe a música “Job“, de Midian Lima. A música sensibilizou e emocionou muito a todos que estava no velório, pois Karoline Calheiros passou a música na cerimónia. Era como se ele estivesse se despedindo através da música..

Desde então,o Brasil inteiro conheceu a música e não pára de ouví-la. Já chegou aos seus 265 milhões de execuções no youtube.
.
------
.
JO
Midian Lima

Jó, como pode ainda adorar?
Se não tem motivos para cantar
Abandona esse Deus e morre
Mais eu não o adoro pelo que Ele faz

Nem menos por bens materiais
Eu o adoro pelo que Ele é
Eu sou Dele, tudo é Dele

Jó, você não tem motivos
Perdeu seus bens, seus filhos, seus amigos
O que você vai fazer?

Eu vou adorar
Simplesmente adorar
Eu vou adorar

Deus me deu, Deus tomou
Bendito seja o nome do Senhor
À Ele a glória, à Ele a honra e o louvor

Jó, como pode ainda adorar?
Se não tem motivos para cantar
Abandona esse Deus e morre

Mais eu não o adoro pelo que Ele faz
Nem menos por bens materiais
Eu o adoro pelo que Ele é
Eu sou Dele, tudo é Dele

Jó, você não tem motivos
Perdeu seus bens, seus filhos, seus amigos
O que você vai fazer?

Eu vou adorar
Simplesmente adorar
Eu vou adorar

Deus me deu, Deus tomou
Bendito seja o nome do Senhor
À Ele a glória, à Ele a honra e o louvor

À Ele a glória
À Ele a glória
À Ele a glória

À Ele a glória
À Ele...
Oh, a Ele a glória
À Ele...
Ele merece toda a glória
À Ele a glória
Pra sempre, amém!
Amém!
Ô, uô, uô!

Deus me deu, Deus tomou
Bendito seja o nome do Senhor
À Ele a glória, à Ele a honra e o louvor

Deus me deu, Deus tomou
Bendito seja o nome do Senhor
À Ele a glória, à Ele a honra e o louvor

À Ele seja dado o louvor
Te damos todo o louvor, Senhor

Compositores: Delino Marçal


sexta-feira, 14 de junho de 2019

O filho de Nicolas Mahut



Nicolas Mahut é um tenista. Tem 37 anos e é n.º 116 no mundo.
Na edição 2019 Roland Garros, jogou o seu último jogo profissional.
O último.
Se ele tivesse vencido, teria jogado contra Roger Federer. Muito provavelmente perderia, mas iria encerrar sua carreira de ténis, perdendo para o jogador mais forte da história. Ou talvez tivesse ganhado, quem sabe.
Nicolas perdeu.
Desfez-se em lágrimas, desesperado.
Então algo aconteceu. O filho correu para o campo para consolá-lo.
Está tudo aqui, o significado da vida de um Pai.
O que quer que aconteça, seja qual for a derrota que possas sofrer, qualquer barreira que possa aparecer na tua vida, o abraço do teu filho estará lá para lembrar-te que o único desafio que importa  na vida tu já ganhaste: a alegria de ter um filho ao teu lado.
O resto é história…