quarta-feira, 9 de abril de 2014

Estas mãos



Estas mãos que me deste, Senhor…
Estas mãos que quando a minha mãe segurou pela primeira vez, em silêncio,
      contou os dedos para se certificar que me tinhas feito perfeito.
Estas mãos que com ternura mimaram os meus pais.
Estas mãos que bateram nos meus irmãos e os abraçaram também.
Estas mãos que partiram o bico do primeiro lápis de cor.
Estas mãos que esmurram um amigo no recreio.
Estas mãos que o pai e a mãe seguraram em tantos passeios.
Estas mãos que tiraram o que não me pertencia.
Estas mãos se fecharam furiosas e contra uma mesa.
Estas mãos que tantas vezes uni para te falar, pedir, implorar.
Estas mãos que enlaçaram as mãos da pessoa que escolhi, e que perante Ti foram abençoadas.
Estas mãos que seguraram os nossos bebés acabados de nascer,
      enquanto em silêncio lhe contava os dedos para saber se Tu os tinhas feito perfeitos.
Estas mãos que ziguezaguiaram no primeiro banho dos nossos filhos.
Estas mãos que cheias de amor, encheram de carinho os nossos bebés.
Estas mãos que eu zangado(a), deixei marcadas nos nossos filhos.
Estas mãos que enlaçadas aos pares passearam a minha família.
Estas mãos que impotentes, seguraram as mãos moribundas daqueles que partiram antes de mim,
      para se despedirem e para se fazerem lembrar.
Estas mãos que convidam e que recebem.
Estas mãos que dão e ajudam.
Estas mãos, que um dia quero devolver-Te engelhadas e puras,
     assim como Tu mas deste, mas hoje ainda não…
… Porque hoje, estas mãos que me deste, são dos peregrinos."

1 comentário:

  1. Obrigado Padre Nuno. Estes maravilhosos textos que nos põe à distância de um click e que nos confortam tantas e tantas vezes. Nestes dias do mundo em que mal paramos para pensar, é um grande privilégio tê-lo como um anjo do Senhor que nos devolve a serenidade, a paz e paciência para continuarmos a caminhar na presença de Deus. Muito Obrigado.

    ResponderEliminar