sábado, 21 de julho de 2012

Na casa do meu Pai há muitas moradas...



Fecha os olhos depois de leres estas linhas, pode ser?
Clicas no “play” do leitor que está em baixo e fechas os olhos.
É a sinfonia nº 40 de Mozart, só o primeiro andamento.
Imagina-te a andar de divisão em divisão numa casa enorme,
até despertares pelo tamanho da casa para o tamanho do amor do tal Pai...
Sobe escadas, vai a terraços, passa pelo jardim,
vai de sala em sala, de quarto em quarto, enormes, atravessa os salões,
cheira o convite que vem de todas as mesas e canta em todas as línguas que ouvires.
Enche os olhos de todas as diferenças que encontrares
e deixa-te remexer pelo desejo de conhecer um Pai com filhos tão diferentes.
Sorve o segredo de cada conversa
e interpreta por dentro as infinitas afinidades em que todos, afinal, afinam.
E aprende a não julgar, apesar de sentires com todas as ganas,
pelo menos as mesmas com que perdoas!
Porque na Casa do Pai nosso há muitas moradas,
e nós ainda estamos no hall da Vida.
Rui Santiago, in Derrotar Montanhas

2 comentários:

  1. "Enche os olhos de todas as diferenças que encontrares
    e deixa-te remexer pelo desejo de conhecer um Pai com filhos tão diferentes.
    Sorve o segredo de cada conversa
    e interpreta por dentro as infinitas afinidades em que todos, afinal, afinam.
    E aprende a não julgar.."

    É muito bom acompanhar-te, Padre Nuno, neste crescer de Vida que fazemos, também por aqui, nas partilhas que sempre promoves e onde, na verdade, já não prescindimos de vir..Obrigada.

    E Muitos Parabéns (!) neste dia de Celebração e de Festa, também para todos nós, do teu 16.º Aniversário de Ordenação Sacerdotal.

    Um abraço amigo!

    dulce ac

    ResponderEliminar
  2. Partilho as palavras da Dulce e agradeço este seu blog que também não prescindo de visitar.
    Muito obrigado,
    Manuel Filipe Santos.

    ResponderEliminar