sábado, 5 de dezembro de 2009

Recebestes de graça, dai de graça!



"...Recebestes de graça, dai de graça!..." (Mt.9, 35-10, 1.6-8)

Somos pessoas do "fui eu..." ou do "é meu..." quando tudo, tudo, TUDO "foi ELE!" ou "É DELE..."! O que tenho e o que sou vem do meu Deus... "de graça". Tão de graça, tão sem qualquer "cobrança" que penso, com alguma naturalidade até, que "vem de mim..."! "Recebeste de graça, dá de graça!" é muito sério: Deus dá-me tudo para que de mim passe para outros para partir (lhar) = não é para eu guardar, não é meu, não é para usar para meu proveito ou só para os que me apetece, é para todos! TUDO! Tão tudo... que inclui eu própria - partir-me para os outros, dividir-me com os outros.
A minha vida foi-me dada "de graça" = é para que eu a dê "de graça"... até ser TODA de todos, meu... NADA! Dar-me até que doa, mesmo que doa, dizia a Beata Madre Teresa de Calcutá.

"DAI DE GRAÇA!"... estranho nestes nossos tempos...

Teresa Olazabal
.

1 comentário:

  1. "Felizes são os pacificadores, os que aplacam a ira, os que mostram o outro lado e abrandam os ânimos. Felizes são os que procuram vidas dilaceradas, corações despedaçados, almas feridas para, de algum modo, aliviá-las.

    Felizes os que resolvem contendas, promovem a união, abraçam, choram com quem precisa e dão apoio quando toda a gente já desapareceu."
    (Augusto Cury)

    DARMO-NOS (!)
    Mesmo que com todas as nossas fragilidades, de sabermos nem sempre estarmos certos...
    Dando-nos, mesmo assim, na nossa mais cristalina humildade.

    dulce ac

    ResponderEliminar