sexta-feira, 13 de março de 2009

O amor nunca morre

Nas fotos Katie Kirkpatrick de 21 anos. A seu lado o noivo Nick de 23 anos. As fotos foram tiradas pouco antes da cerimónia do casamento ocorrida em 11 de Janeiro de 2005 nos Estados Unidos. Katie é vitima de uma neoplasia em estado terminal e durante muitas horas por dia é submetida a sessões de quimioterapia.

Apesar de sentir muitas dores e de vários orgãos se encontrarem em falência é imperativo recorrer à morfina. Katie não deixa de concretizar o seu casamento.

Contemplar uma jovem tão debilitada vestida de noiva com um sorriso nos lábios faz-nos pensar sobre a vida. Porque são tantas as vezes que reclamamos apenas e tão somente pelo facto de estarmos vivos. Desistimos perante problemas tão pequenos. No caso de Katie o amor superou e suportou toda a adversidade até à sua morte. A ter sempre presente na azáfama dos dias.
.

5 comentários:

  1. POUCAS PALAVRAS


    Predomina ainda um paradigma feito de força, saúde e beleza fisicas que exclui ainda os mais debilitados de nós.

    Acontece que na fragilidade exposta esconde-se uma enorme força anímica susceptível, essa sim (!), de vencer mais e maiores barreiras.

    São as barreiras que a fazem, à força anímica, crescer desmesuradamente e vencer!


    Jaime Latino Ferreira
    Estoril, 13 de Março de 2009

    ResponderEliminar
  2. Aqui estou eu a cumprir o prometido, lololol.
    Fiz ha tempos um PPS com este tema que nunca me disseste se recebeste e se tinhas gostado...
    Felizmente ainda ha pessoas para quem o amor conta muito, e para essas o amor nunca morre na verdade.
    Beijos da mae que te ama muito.

    ResponderEliminar
  3. Branco

    Eu desejava um vestido branco
    Enfeitado de sonho e de ilusão
    Um véu de renda leve e fina
    E um anel a brilhar na minha mão

    O ar deste mundo não me bastava
    E a luta era dura e desigual
    O mais leve gesto me cansava
    Como se soprasse um vendaval

    Mas o Amor é terno e forte
    E antes que soasse a alvorada
    Eu senti a coragem dos heróis

    Aceitei a vida que abriga a morte
    E em Deus sonhei outra morada
    Como um navio à procura de faróis

    Manuela Baptista

    ResponderEliminar
  4. PEDAÇOS DE MIM

    Minha Senhora,

    Não resisto e pelo facto peço, antecipadamente desculpas, a meter-me no meio de uma conversa entre mãe e filho.

    Isto para Lhe dizer em breves palavras que tem um excelente e promissor filho.

    Como ser padre não é chancela que a alguém coloque ao abrigo de qualquer crítica, gostaria, no entanto de Lhe transmitir ainda o que se segue:

    O Seu filho, o Padre Nuno é uma pessoa muito bem formada, muito bem educada que, aliás, não deixa ninguém pendurado e que cultiva o gosto pelo contraditório, por uma boa conversa e pelo aprofundamento das temáticas com abertura e espírito crítico.

    É um prazer conhecê-La, o estímulo não se regateia e tem, seguramente, motivos com que se orgulhar!

    Seu,

    Jaime Latino Ferreira
    Estoril, 14 de Março de 2009

    ResponderEliminar
  5. P.Nuno!Vi esta reportagem na televisão e muito me comoveu.Tem razão reclamamos por muito pouco e quem tem tão pouco busca razões para sorrir.

    Uma beleza!!!

    Um beijo carinhoso!Sonia Regina.

    ResponderEliminar