terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Despertai o mundo!


«Despertai o mundo, iluminai-o com o vosso testemunho profético e contracorrente!»

Hoje, com a Festa da Apresentação do Senhor no Templo, em que celebramos o Dia Mundial do Consagrado, termina o Ano da Vida Consagrada. Esta frase que faz título, foi retirada da mensagem do Papa para a abertura deste Ano dedicado a esta forma de vida. Que repercussões nas nossas vidas? Ficamos a conhecer melhor a vocação consagrada? A comunidade iMissio partilhou ao longo deste ano uma rúbrica com este tema. 

A festa da Apresentação de Jesus constitui a ícone, a imagem da doação de si mesmo por parte daqueles que, por um dom de Deus, assumem a condição de Jesus virgem, pobre e obediente. Ainda que todo o cristão se entregue totalmente a Deus através do batismo, os religiosos e religiosas, fazem-no de uma forma específica, através da profissão dos votos. Esta "pertença" ao Senhor, permite a quantos a vivem de forma autêntica, oferecer um testemunho especial ao Evangelho do Reino de Deus. Totalmente consagrados a Deus, dedicam-se totalmente aos irmãos. E é neste sentido, que o Papa Francisco, pede a todos eles que despertem o mundo. Sejam capazes de levar a luz de Cristo onde há maior escuridão e assim, difundir a Sua esperança nos que se encontram desesperados, perdidos e sem confiança.

Por isso é que na mensagem, Francisco pediu que todos fossem «jubilosos», porque seguir a Cristo, enche o coração de felicidade; «Corajosos», porque quem se sente amado por Cristo, n'Ele pode confiar plenamente; e «Mulheres e homens de comunhão», com Deus e com os irmãos consagrados, para mostrar que a fraternidade universal não é uma utopia, mas o sonho de Jesus para toda a humanidade.

E nós, os cristãos e não só, estamos necessitados deste testemunho. Num tempo de desorientamento e de medo que percorre a Europa e o mundo, precisamos de lugares habitados pela esperança. Acredito que, conventos e mosteiros, bem como outras instituições de consagrados, formem uma barreira contra o ódio, o horror e o desespero. Não podemos esquecer o contributo que homens e mulheres de contemplação deram à nossa civilização. Não podemos esquecer a solidariedade praticada com os pobres e os mais frágeis, ao longo dos séculos.

Sabemos também, que na vida consagrada, por vezes, cede-se e cai-se na rotina, no frenesim de tantas coisas para fazer, no ativismo, na preocupação com as estruturas e, até, com a tentação do poder e do dinheiro... Perde-se o contacto com a própria interioridade, com as motivações que estavam no inicio do caminho vocacional e consagrado... Também eles, como nós, transportam este tesouro, que é a vida, a fé e a vocação, em «vasos de barro». Todos somos frágeis. Mas é nesta fragilidade que pode resplandecer a bondade e o amor de Deus. Então é necessário e urgente a oração!
Que este ano dedicado à consagração da vida, tenha servido para que todos os cristãos se tenham empenhado na oração pelas vocações. Novas e santas, bem como a fidelidade nas já existentes. Que tenha sido uma "viagem às nascentes do chamamento cristão" que se funda na relação intensa com o Senhor Jesus. Algo que se constrói dia após dia numa dimensão contemplativa com a Palavra, para que toda a dimensão humana se revista dos sentimentos e do pensamento de Jesus. E se isto é verdade para todo o cristão, é ainda mais para o consagrado.

Paulo Victória


Sem comentários:

Enviar um comentário