quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Desabafo pastoral de um "Timóteo"


É particularmente preocupante ver pastores cansados, desmotivados e com vontade de desistirem do ministério.
Quase ninguém imagina o que eles passam... Horas a estudar para poderem pregar, investem muito tempo em oração pelas pessoas, estão disponíveis para resolverem problemas seja a que horas for, têm que tomar também decisões que são incompreensíveis pelas pessoas até pela confidencialidade pastoral que lhes é exigida, têm pouco tempo para a família, não sabem o que é terem um fim-de-semana livre de preocupações sem ser nas suas férias, têm um dia de folga quando todos os outros membros da família estão fora de casa, fazem desafios à Igreja e poucos ou nenhuns respondem afirmativamente.
Além disto, ouvem algumas barbaridades como “só vai para o ministério quem quer ganhar dinheiro”, ou então “só vai para pastor quem não sabe fazer mais nada na vida”. As pessoas não imaginam o que custa ouvir dizer isso.
Os pastores são pastores por vocação e não por profissão!
Acreditem meus amigos, quem “aguenta” ser pastor, certamente suportará qualquer outra actividade no nosso país.
Quando os pastores estão desmotivados, em depressão, ou até em esgotamento, certamente as comunidades irão ressentir-se.
Um dia ouvi alguém dizer “Se o pastor estiver desmotivado, a Igreja ficará “morta”. Se a Igreja estiver desmotivada, o pastor ficará “morto”.
Temos de orar mais pelos pastores, motivá-los cada vez mais a pregarem a Palavra e a honrá-los.
Temos de ter cuidado na forma como falamos com eles, porque apesar de poderem responder muitas vezes com um sorriso, depois vão para casa em grande sofrimento. E a família dele ressente-se disso.
Há certos gestos e palavras que têm um alcance enorme. Dou apenas três exemplos pessoais que foram bastante importantes…
1º Num dia em que estava mesmo abatido, uma pessoa simplesmente olhou para mim e abraçou-me dizendo "estou a orar pelo meu pastor".
2º Noutra altura, também difícil no ministério, várias pessoas vieram ter comigo e com a minha mulher e disseram “Nós estamos a orar por vocês. Nunca se esqueçam disso”.
3º Ouvir numa reunião de oração um irmão dizer “temos de orar pelo pastor. Certamente ele está a viver muitas lutas, pois vive as suas lutas pessoais e também as nossas". Creio que foi a cura de Deus que eu estava a precisar naquele momento.
Depois deste enorme texto, deixo apenas um versículo para reflexão…
“Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.” Hebreus 13:17.
Por fim, quero dizer que dou graças a Deus pela Igreja que eu pastoreio. Tem sido uma bênção crescermos juntos e vermos aquilo que Deus tem feito na vida do Seu povo."

Sem comentários:

Enviar um comentário