quinta-feira, 21 de maio de 2015

Oração do pobre



Oxalá, Senhor, que ouças a minha voz.
Aqui estou.
Sem grandes palavras para dizer.
Sem grandes obras para oferecer.
Sem grandes gestos para fazer.

Receberei o que me queiras dar:
Luz ou sombra. Sorte ou adversidade.
Alegria ou tristeza. Calma ou dificuldade.

E receberei sereno,
Com um coração sossegado,
Porque sei que Tu, Meu Deus,
Também és um Deus Pobre.

Um Deus que não exige, mas que convida.
Que não força, mas que espera.
Que não obriga, mas que ama.

E eu farei o mesmo no meu mundo,
Com os meus amigos, com a minha vida:
Aceitar o que vier como um presente.
Eliminar do meu dicionário a exigência.

Perguntar aos outros: “O que precisas?”
“Que posso fazer por ti?”
E dizer poucas vezes “Quero” ou Dá-me”

E assim avanço, Deus
Aqui, sem mais nada.
Em silêncio.
Contigo, meus Deus pobre.


P. Nuno Branco sj

Sem comentários:

Enviar um comentário