sexta-feira, 25 de julho de 2014

Brilhante testemunho de fé da Judite de Sousa



"Meu Deus e meu Pai
Desfeito em átomos de água,
partiu hoje para o teu infinito o filho que me deste.
Gerei-o com amor, criei-o com carinho
e eduquei-o o melhor que soube.
Foi meu companheiro e meu ânimo
nas muitas tempestades que tenho atravessado.
Hoje não tenho nada.
O muito que tinha foi para junto de ti.
A sua alma de menino
e o que restou do seu corpo de anjo também já foi desfeito em fumo.
Estou só.
Terrivelmente só.
Só como há séculos, quando a tua mãe, nossa Senhora,
te acolheu no regaço depois de te despregarem da cruz no calvário.
Eu agora nada tenho.
Nas distorcidas imagens que os meus olhos rasos de lágrimas salgadas e já secas,
vejo nitidamente, o teu rosto misericordioso.
No plano infinito da eternidade já está o meu menino.
Tapa-o com o teu manto divino
que as noites são frias para lá do Universo, ele é um bom menino.
O meu menino!
E se vires que pode merecer alguma coisa da dor desta perda sem remédio,
rogo-te, meu Pai, que pronto me leves a vê-lo,
que nestes dias as saudades apertam mais
este meu coração trespassado pela dor.
Eu só fui mãe deste filho.
Hoje, já não sou mais mãe de ninguém”.

Judite de Sousa

Sem comentários:

Enviar um comentário