quarta-feira, 14 de maio de 2014

Expedição de marcianos



E se "uma expedição de marcianos" quisesse o baptismo?

Sim, marcianos, "verdes, com narizes compridos e orelhas grandes, tal como nos desenhos das crianças". "O Espírito faz escolhas impensáveis, inimagináveis", lembra Francisco.

O Papa surpreendeu os fiéis que marcaram presença na missa desta segunda-feira de manhã.  “Se, por exemplo, amanhã chegasse uma expedição de marcianos?”, perguntou. E se quisessem ser baptizados, "o que é que aconteceria?”.

Perante a cara estupefacta de quem duvidava ter ouvido bem, Francisco esclareceu que estava mesmo a falar de hipotéticos extraterrestres que pretendessem ser baptizados: “Verdes, com narizes compridos e orelhas grandes, tal como nos desenhos das crianças”.

O Santo Padre usava o exemplo para realçar a importância de ninguém fechar as portas ao Espírito Santo, mesmo quando isso resulta nas situações mais improváveis: “Quando o Senhor nos mostra o caminho, quem somos nós para dizer ‘Não, Senhor, não é prudente! Não, façamos de outra maneira’. Quem somos nós para fechar portas?”, perguntou.

O Papa referiu a tradição que algumas igrejas têm de ter assistentes que recebem os fiéis à porta da Igreja, para os guiar para os lugares disponíveis na assembleia. Mas, realçou Francisco, “nunca existiu um ministério para quem fecha a porta aos outros. Nunca”.

“O Espírito faz escolhas impensáveis, inimagináveis”, disse Francisco. “E enquanto cristãos devemos pedir ao Senhor a graça da docilidade aos Espírito Santo”.

Sem comentários:

Enviar um comentário