sábado, 26 de março de 2011

Artesão do armamento

producao ilegal de armas nas filipinas 009 Produção ilegal de armas nas Filipinas

Não sou eu quem determina o destino do mundo.
Não sou eu quem começa as guerras.

Apenas sigo o meu caminho. Faço o meu trabalho.
Nada faço de errado.
Mas não sei.

E essa é a questão,
que sempre me atormenta.
Não quem determina,
e no entanto nada faço de mal.

Faço girar parafusos pequeninos com os meus dedos,
fabricando componentes de armas
que nos ameaçam a todos.
E ainda assim não sou eu quem determina
o destino que aparece diante de nós.

Eu poderia criar outro destino,
tornando o mundo seguro para todos aqueles
que anseiam viver a sua vida.

E então eu saberia
a razão sagrada,
o significado brilhante
da nossa existência.

Ninguém então poderia destruir-nos
com as suas acções
ou iludir-nos
com as suas palavras.

O mundo que eu ajudo a fazer
não é um mundo bom.
No entanto eu não sou mau.
E não fui eu que o inventei.
Mas será isso suficiente?

João Paulo II
.

1 comentário:

  1. O Nosso Mundo...

    "O mundo que eu ajudo a fazer
    não é um mundo bom.
    No entanto eu não sou mau.
    E não fui eu que o inventei.
    Mas será isso suficiente?"


    Às vezes tem um céu azul, outras tempestade.
    Lá dentro cabem sonhos de todos os tamanhos.
    ...
    Todas as pessoas que estão dentro dele não estão por acaso.
    São necessárias.
    (Filomena)

    É, assim, o nosso mundo...e nós nele.
    dulce ac

    ResponderEliminar