quarta-feira, 24 de novembro de 2010

A morte não representa nada.
Eu apenas parti para o quarto ao lado.
Eu sou eu, vocês são vocês.
O que éramos uns aos outros continuamos a sê-lo sempre.

Tratem-me pelo nome pelo qual sempre me trataram.
Falem comigo como sempre o fizeram.
Não o façam com um tom de voz diferente,
nem ponham um ar solene ou triste.
Continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos.
Rezem, sorriam, pensem em mim, rezem por mim.

Que o meu nome seja pronunciado como sempre o foi,
sem qualquer espécie de enfase,
sem nenhum vestígio de tristeza.

A vida significa aquilo que sempre significou.
Ela é o que sempre foi. O fio não está cortado.

Por que razão haveria eu de estar fora do vosso pensamento, só porque estou fora da vossa vista?

Estou à vossa espera, não estou longe:
apenas do outro lado do caminho.
Como vêem, tudo está bem.


CHARLES PEGUY

Sem comentários:

Enviar um comentário