domingo, 16 de maio de 2010

Foi elevado ao Céu



“Enquanto Jesus os abençoava, afastou-Se deles e foi elevado ao Céu”. Mas é onde, o céu? Segundo o dicionário, é o espaço visível acima das nossas cabeças, que limita o horizonte. Hoje, os homens são capazes de ir ao espaço. O primeiro cosmonauta russo, em 1961, regressou à terra declarando que não tinha encontrado Deus! Manifestamente, Lucas não fala desse céu!

Os astronautas vão para o espaço para melhor o explorar. Jesus, pela sua ressurreição, foi para lá do espaço, saiu do nosso espaço-tempo. Mas o que pode querer isso dizer?

Reconheçamos que não temos qualquer experiência dessa realidade, pela simples razão de que continuamos fechados neste espaço-tempo. O que falamos, na Ascensão, tem a ver com a fé, com a confiança que podemos ter em Cristo e nas testemunhas que O viram separar-Se deles. Não há qualquer prova nem demonstração “científica” para esta subida ao céu de Jesus!

Uma vez mais, somos convidados a situar-nos num outro registo, o do amor. É a nossa própria experiência: quando amamos, quando conhecemos momentos de intensa felicidade, gostaríamos que o tempo parasse, não para que tudo se acabe mas, ao contrário, para que esta felicidade que atinge todo o nosso ser seja como que eternizada.

Gostaríamos de poder parar o tempo. Mas é o tempo para o amor. Ora – aí está a nossa fé – Jesus veio habitar este desejo de eternidade em nós, para o levar à sua plena realização. Vivendo a sua vida de homem, imergiu no amor que preenche os desejos humanos mais autênticos. Ressuscitando, fez entrar todos estes desejos no mundo do amor infinito. É desse céu que se trata hoje, para lá de tudo o que possamos imaginar ou desejar.

Em cada Eucaristia, acolhemos em nós a presença de Jesus ressuscitado que vem alimentar e fazer crescer o germe da vida eterna. E, no dia da nossa morte, Jesus far-nos-á entrar no “além”, no “céu”, no mundo do amor sem qualquer limite…
.

1 comentário:

  1. "Uma vez mais, somos convidados a situar-nos num outro registo, o do amor"

    Com estas palavras que aqui nos trás e que reflectem o que ouvimos hoje na Sua homília Padre Nuno, ascendemos
    a um conhecimento sem dúvida importante que é compreendido, que é manifestado
    na alegria da Fé que muitos já vivem- absolutamente contagiante - e que evidencia a grande força da presença de Jesus ressuscitado nas nossas vidas.

    Percebemos nesse sentir de Mais vida
    que nada nem ninguém nos pode separar do Amor que Deus tem por nós,
    por cada um,
    no Ser único e de grande singularidade
    que cada um de nós é...

    Um abraço de Obrigado Padre Nuno.
    E uma vez mais, Bem Haja por esse Seu testemunho de Mais vida junto de todos nós!

    dulce ac

    ResponderEliminar