terça-feira, 30 de março de 2010

Traz a tua cruz e segue-me



Traz a tua cruz e segue-me,
reúne as tuas memórias dolorosas
e o que sufoca a vida, o que te prostra e não compreendes
junta-te ao mal que atola o mundo,
junta o teu grão de dor à dor do mundo e segue-me
neste acto em que me dou a vós, baptizados no meu nome,
junta-te ao meu caminho, que foi de morte e foi de páscoa
estamos reunidos na memória da Páscoa
a fim de aprender a renascer das lágrimas
cada vez em que o tecido da nossa vida comum
irremediavelmente se rasgou,
tornando-se encontro com o Todo-desconhecido
Deus não é estranho a esta festa
em que dizemos, cada um no seu coração os nomes daqueles
que nos precederam na vida e nos afectos
e passaram a morte para se inscreverem
numa nova ordem de comunicação
porque dizer, aqui, é ligar:
a nossa vida está escondida em Deus:
Ele sabe a caminhada secreta para o repouso da sua Face.
só o Deus fiel pode fazer com que a nossa vida
não se perca na noite:
abandonemo-nos nas suas redes invisíveis.
.

1 comentário:

  1. NO TEU SEGUIR SEREI DE NOVO

    Sigo-Te
    com os muitos afectos
    as memórias
    o que sou
    o que não sou
    e o que sei ainda
    neste meu sentir forte total
    querer ser mais

    Sigo-Te
    na angústia dos momentos tristes
    lembro todos os que abraçei e
    tive ao lado
    e que agora só já não posso abraçar
    e isso é não poder muito
    e isso é absoluto no sê-lo doloroso

    Sigo-Te
    no Teu caminho
    nas memórias que Vivo
    e nas que já não vivo mas não esqueço

    Sigo-Te
    para não me perder
    Esperança És, certa
    de Reconciliação em Ti
    em mim com Outros

    e num humilde ousar concertar
    lágrimas em tantas gotinhas
    que sei existem
    dor imensa
    entrelaço-me
    e fico

    Sigo-Te
    para no Teu caminhar
    memória da Páscoa
    Aprender
    e sentir-me com Outros
    Ser de novo

    dulce ac

    ResponderEliminar