sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Formas superiores do amor



Mesmo que ainda não consigais vivê-las, ficai sabendo que existem formas superiores do amor às quais deveis aspirar se quereis verdadeiramente que o vosso amor vos torne felizes.

Uma mulher não pode dar tudo a um homem nem um homem pode dar tudo a uma mulher. Então, eles deveriam dizer um ao outro: “É preciso que saibas que não sou eu que poderei trazer-te a plenitude. Mesmo que eu te desse tudo aquilo que possuo, o teu coração é tão imenso que o universo inteiro não chegaria para o preencher, e a tua inteligência tem necessidade de uma luz que não possuo. Só Deus pode dar-te tudo. Então, aceita servir-te somente de mim como um meio para ires até Deus. Eu ficarei junto de ti, mas é Deus que tu procurarás através de mim.”

É isto que os homens e as mulheres deveriam dizer uns aos outros, e então o amor não mais os deixaria, tornar-se-ia neles um estado de consciência permanente que nada poderia perturbar. Viver o amor assim, como um estado de consciência, é sentir em si um calor constante, uma luz que jamais se extingue".

Que o nosso Caminho seja sempre o do Amor!

Omraam Mikhaël Aïvanhov
.

1 comentário:

  1. ESTRELINHAS DO CÉU QUE UM ANJO ACENDE...

    ... para um momento muito bonito de duas Vidas que o começam a ser uma só num encontro com Deus

    "Noivado

    Vês, querida, o horizonte ardendo em chamas?
    Além desses outeiros
    Vai descambando o sol, e à terra envia
    Os raios derradeiros;
    A tarde, como noiva que enrubesce,
    Traz no rosto um véu mole e transparente;
    No fundo azul a estrela do poente
    Já tímida aparece.

    Como um bafo suavíssimo da noite,
    Vem sussurrando o vento
    As árvores agita e imprime às folhas
    O beijo sonolento.
    A flor ajeita o cálix: cedo espera
    O orvalho, e entanto exala o doce aroma;
    Do leito do oriente a noite assoma
    Como uma sombra austera.

    Vem tu, agora, ó filha de meus sonhos,
    Vem, minha flor querida;
    Vem contemplar o céu, página santa
    Que amor a ler convida;
    Da tua solidão rompe as cadeias;
    Desce do teu sombrio e mudo asilo;
    Encontrarás aqui o amor tranqüilo...
    Que esperas? que receias?

    Olha o templo de Deus, pomposo e grande;
    Lá do horizonte oposto
    A lua, como lâmpada, já surge
    A alumiar teu rosto;
    Os círios vão arder no altar sagrado,
    Estrelinhas do céu que um anjo acende;
    Olha como de bálsamos rescende
    A c’roa do noivado.

    Irão buscar-te em meio do caminho
    As minhas esperanças;
    E voltarão contigo, entrelaçadas
    Nas tuas longas tranças;
    No entanto eu preparei teu leito às* sombra
    Do limoeiro em flor; colhi contente
    Folhas com que alastrei o solo ardente
    De verde e mole alfombra.

    Pelas ondas do tempo arrebatados,
    Até à morte iremos,
    Soltos ao longo do baixel da vida
    Os esquecidos remos.
    Calmos, entre o fragor da tempestade,
    Gozaremos o bem que amor encerra;
    Passaremos assim do sol da terra
    Ao sol da eternidade."
    (Machado de Assis)

    E era muito bom que sempre assim fosse
    duas vidas unidas numa só a Deus - eternamente..!

    "Que o nosso Caminho seja sempre o do Amor"
    Completamente de acordo..!!

    dulce ac

    ResponderEliminar