sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

2010 - Ano Internacional da Biodiversidade



O Papa centra a sua mensagem do dia de Ano Novo – Dia Mundial da Paz – nos problemas ecológicos, reafirmando que “A Igreja tem a sua parte de responsabilidade pela Criação e sente que a deve exercer também em âmbito público, para defender a terra, a água e o ar, dádivas feitas por Deus Criador a todos, e antes de tudo para proteger o homem contra o perigo da destruição de si mesmo”. A Criação é fonte de paz e harmonia e fermento de alegria que pacifica e harmoniza por dentro, para dominar ímpetos e violências. Infelizmente o homem com o pecado vai fazendo estragos com o egoísmo, o desejo de posse, o poder déspota, a ânsia de ter mais e melhor, a falta de respeito pelos outros… Assim a criação pode tornar-se lugar de luta, de guerra, de furto, de engano, de destruição do amor e da vida, de exploração criminosa, de burla viciada pela corrupção.

O Papa diz que a degradação da natureza está intimamente ligada à cultura que molda a convivência humana (…). Não se pode pedir aos jovens que respeitem o ambiente, se não são ajudados, em família e na sociedade, a respeitar-se a si mesmos; o livro da natureza é único, tanto sobre a vertente do ambiente como sobre a ética pessoal, familiar e social”.

Começam já a haver muitos cristãos e outros a lutarem por esta causa e a optarem, juntamente com os filhos, por práticas ecológicas, como a poupança de água e electricidade, a separação do lixo ou o controlo dos gastos. São atitudes fundamentais que deviam entrar nos programas de vida. Estas alterações de comportamentos individuais – que não são fáceis, porque toda a sociedade está orientada para consumos excessivos – exigem que façamos um esforço concreto de educação, não só para as novas gerações, mas começando em nós próprios. Então, sim, um Feliz Ano Novo !
.

Sem comentários:

Enviar um comentário