quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Salvo pela ternura



Sempre foste salvo pela ternura de alguém.
Se pensares na tua história,
dás-te conta que é mesmo assim.
O melhor da tua vida,
que lhe dá sentido e a salva da mediocridade,
está envolvido numa experiência de ternura.

Esta ternura paciente
que é preciso ter para afinar um piano
como o que está cá em casa, ao fundo das escadas…
Não é de martelo que se afina.
Não são braços musculados que levam cada corda ao lugar.
É outra coisa…
É a minúcia paciente, os gestos cuidados,
a capacidade de escutar.

Acredito nessa Ternura
que me percorre o corpo inteiro por dentro,
como sangue novo que circula em mim.
.

1 comentário: