domingo, 14 de setembro de 2014

Cruz



«O mundo está em chamas. (…)
Mas no alto, por cima de todas as chamas,
eleva-se a cruz.
Elas não podem queimá-la.
Ela é caminho da terra ao céu.
Quem a abraça com fé,
com amor
e esperança
é levado até ao Seio da Trindade.»

Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) | 1891 – 1942 
Escrito para a Exaltação da Santa Cruz

Pai,
contemplo-te aí, atrás da Cruz,
a sustentar o Crucificado
e a oferecê-lo ao mundo.
A Tua presença aí
diz-me do mistério oculto na Cruz,
diz-me da ‘memória viva’ do ‘Verbo feito carne’
que queres celebrar com cada vida.
Contemplo-te aí, a sustentar o Crucificado,
e no Coração aberto e trespassado
descubro o dom da Encarnação que nos ofereces.
Descubro que o segredo que a Cruz encerra
é o dom do Verbo se fazer um connosco.
Continuo a olhar o Crucificado, sustentado por Ti,
e descubro que as pequenas cruzes da minha vida
são o amor com que fazes Cristo nascer em mim,
são o ‘berço’ que escolheste para o ‘Verbo encarnar’.
Olho-Te de novo, Pai,
e o meu olhar vai de mim a Ti
e da cruz onde sustentas o Crucificado
sinto-me eu mesmo sustentado
e o meu olhar volta de Ti a mim
porque em mim a força da Crucifixão
se converteu na presença de Cristo Vivo.
Trago em mim as marcas da Paixão
Porque Tu me sustentas no Amor do ‘Verbo feito carne’.

A Cruz onde sustentas o Crucificado
Acende no meu interior o fogo vivo
Da Cruz do Amor
Com que me marcaste.

Pai,
Eu te dou graças
Por me sustentares no amor do Crucificado
E por me dizeres que a Cruz de Cristo
É a certeza da ‘Encarnação do Verbo’
Na vida de cada um dos Teus filhos.

Sem comentários:

Enviar um comentário