segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Assalto



Acabei de ver a residência paroquial assaltada por 2 miúdos.

O mais pequeno (10.11 anos) conseguiu fugir, mas o maior (12-13) ficou. Tremia por todos os lados e chorou como nunca vi ninguém chorar. Depois de uma longa conversa e me ter cedido os seus dados, disse que fora ameaçado por um mais velho e estava com medo. No fim disse-lhe que ele saía de casa mas como um convidado meu e não como um ladrão. Dei-lhe um abraço de perdão.

Para meu espanto, o miúdo, antes de fechar a porta lentamente, com olhar envergonhado, ainda arranjou força para dizer, no meio de mais lágrimas: "Obrigado!"

E senti que partiu reconciliado!

Sem comentários:

Enviar um comentário