sexta-feira, 23 de novembro de 2012




É a hora de depor as armas da atividade, da ocupação e da preocupação, no sono da noite.
É hora de dormir e de confiar a germinação da semente de bem e de verdade Àquele que opera em nós o querer e o agir.
É a hora de desistir de comandar o mundo, pelas nossas mãos.

É a hora da rendição das nossas forças ao poder inerme do amor de Deus.
Queria que a noite fosse anestesia das minhas resistências à graça, para que o Senhor opere, em mim e por mim, o que só por mim não posso realizar.

Esta não é a hora de tempo perdido.
É a hora do repouso, da celebração do dia vivido, do estender das mãos vazias à mão direita de Deus, estendida sobre o meu corpo cansado.
Esta é a hora de Deus tomar conta de mim e do que me traz aqui, tão perto dEle.
É a tua Hora, Senhor.
Fica comigo, porque anoitece!

Amaro Gonçalo

Sem comentários:

Enviar um comentário