sábado, 24 de março de 2012

Crónica do desassossego

Desassossego

O homem é do tamanho do sofrimento que for capaz de suportar por amor. Quando assim é, a chama da esperança que ilumina os sonhos não pode ser apagada por inverno algum. Quanto maior o sofrimento, maior será o interior de quem o experimenta, mais espaço passando a haver para acolher a alegria pura dos dias que estão para vir.
A solidão da dor aperfeiçoa o indivíduo na medida em que lhe permite aprofundar-se a partir dessa ferida que à superfície o faz gritar.
O sofrimento robustece o esqueleto e mantém o espírito humano erguido. Por vezes, resulta das nossas escolhas, não necessariamente das más, pois, muitas vezes, é o caminho do bem que tem o preço mais elevado. Outras vezes, resulta de escolha alheia. Outras ainda, de escolhas nenhumas. Em qualquer dos casos é a prova da humildade.
As lágrimas da solidão, que sempre acompanham quem sofre, podem ser sinal de esperança. Como se um grito sofrido quisesse relembrar ao mundo que é possível ser-se melhor.
Por amor, não se sofre em vão. Se amar é dar-se, também pela dor aperfeiçoamos o que somos. As mágoas vão cavando cada vez mais fundo e engrandecendo um interior que a luz do amor encherá de graça. A dor é a tela onde o amor se pinta.
As dores parecem sempre eternas. O tempo magoa. Mas só as lágrimas de quem ama têm sentido, caindo sempre em busca das raízes da fé que dá a salvação.

Investigador
in http://www.ionline.pt/opiniao/cronica-desassossego

1 comentário:

  1. "Que o Espírito Santo nos encha de alegria nesta Quaresma, dessa alegria que emana do encontro com Cristo morto e ressuscitado e da experiência do perdão e do amor de Deus na nossa vida, dessa alegria que traz ao nosso coração a esperança que nos faz perseverar até o fim.."

    É a candeia de esperança que não pode mesmo ser apagada por Inverno algum..por tempo algum.
    E que assim seja sempre.

    Muito obrigado, Padre Nuno.

    Esta reflexão é muito bonita de tão certa e importante a este tempo de Vida.

    Beijinhos.
    Dulce

    ResponderEliminar