quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Obrigado, Senhor, pelos amigos



Obrigado, Senhor, pelos amigos que nos deste.
Os amigos que nos fazem sentir amados sem porquê.
Que têm o jeito especial de nos fazer sorrir.
Que sabem tudo de nós, perguntando pouco.
Que conhecem o segredo das pequenas coisas que nos deixam felizes.
Obrigado, Senhor,
por essas e esses, sem os quais, caminhar pela vida não seria o mesmo.
Que nos aguentam quando o mundo parece um sítio incerto.
Que nos incitam à coragem só com a sua presença.
Que nos surpreendem, de propósito, porque acham mal tanta rotina.
Que nos dão a ver um outro lado das coisas, um lado fantástico, diga-se.
Obrigado pelos amigos incondicionais.
Que discordam de nós permanecendo connosco.
Que esperam o tempo que for preciso.
Que perdoam antes das desculpas.
Essas e esses são os irmãos que escolhemos.
Os que colocas a nosso lado para nos devolverem a luz aérea da alegria.
Os que trazem, até nós, o imprevisível do teu coração, Senhor.

1 comentário:

  1. "Que nos incitam à coragem só com a sua presença.."

    Mesmo não estando por perto, é a proximidade do invisível que só o coração sente e conhece.
    Estes sim, são os amigos do coração.

    Gosto muito do escrever de José Tolentino de Mendonça, muito mesmo.

    Obrigado, Padre Nuno, por mais uma partilha tão grata!

    dulce ac

    ResponderEliminar