quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Atalhos



Dessa vez me esqueci, Senhor, de ti.
Como pensei, assim decidi.
Dessa vez resolvi ir só por mim
Determinei a estrada a seguir.

     Tinha a certeza de encontrar um outro jeito
     Um outro atalho para o fim alcançar
     Tinha a certeza de conseguir
     Traçar o meu destino
     Percorrer o meu próprio caminho e ser feliz.

Dessa vez prescindi; Senhor, de ti.
Ouvi tocar mas não atendi.
Dessa vez receei teu discordar
Então parti sem me despedir.

     Passei atalhos de beleza sem par,
     Superiormente perfumados convidavam-me a ficar,
     Com seus poemas e adornos de encantar.
     Guardava-me os meus pensamentos
     Até num beco sem saída eu acordar.

Dessa vez duvidei daquele amor
Que tantas vezes gritara ser o maior.
Dessa vez como pude acreditar
Haver amor capaz de prejudicar.

     Daqui para a frente ajuda-me a acreditar
     Que o teu amor é muito mais do que alguém possa imaginar.
     Pois mesmo ao lodo me podes arrancar
     E aí, ainda encharcados, nesse instante juntos cantarmos:
     Recomeçar!

Sem comentários:

Enviar um comentário