sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Há amigos assim



Os amigos cada vez mais se vêem menos. Parece que era só quando éramos novos, trabalhávamos e bebíamos juntos que nos víamos as vezes que queríamos, sempre diariamente. E, no maior luxo de todos, há muito perdido: porque não tínhamos mais nada para fazer.

Nesta semana, tenho almoçado com amigos meus grandes, que, pela primeira vez nas nossas vidas, não vejo há muitos anos. Cada um começa a falar comigo como se não tivéssemos passado um único dia sem nos vermos.

Nada falha. Tudo dispara como se nos estivera - e está - na massa do sangue: a excitação de contar coisas e a alegria de partilhar ninharias; as risotas por piadas de há muito repetidas; as promessas de esperanças que estão há que décadas por realizar.

Há grandes amigos que tenho a sorte de ter que insistem na importância da Presença com letra grande. Até agora nunca concordei, achando que a saudade faz pouco do tempo e que o coração é mais sensível à lembrança do que à repetição. Enganei-me. O melhor que os amigos e as amigas têm a fazer é verem-se cada vez que podem. É verdade que, mesmo tendo passado dez anos, é como se nos tivéssemos visto ontem. Mas, mesmo assim, sente-se o prazer inencontrável de reencontrar quem se pensava nunca mais encontrar. O tempo não passa pela amizade. Mas a amizade passa pelo tempo. É preciso segurá-la enquanto ela há. Somos amigos para sempre mas entre o dia de ficarmos amigos e o dia de morrermos vai uma distância tão grande como a vida.

Miguel Esteves Cardoso
.

2 comentários:

  1. A amizade nunca acaba, mesmo que o tempo lhe passe por cima. Eu também tive um encontro com as amigas do colégio, algumas estivemos 50 anos sem nos vermos, e a conversa fluiu como se tivessemos estado juntas na véspera. É impressionante ver uma amizade assim!
    Penso que é talvez mais forte e duradoura do que as amizades recentes...

    ResponderEliminar
  2. "O melhor que os amigos e as amigas têm a fazer é verem-se cada vez que podem"

    Concordo.

    Hoje em dia com as novas tecnologias, tudo fica mais fácil. Claro que não dispenso um encontro real seja num abraço que dou, seja na ternura de um olhar, seja num ficar no tempo esquecidos de tudo...e sentindo a vida a acontecer... não dispenso um bom encontro de amigos, é o que é..!!

    Tenho amigos assim...de "ontem" e tenho os de hoje.
    São ambos incomparávelmente importantes para mim.

    Os de "ontem", porque carregam com eles uma parte preciosa de mim, da minha história.
    Os de hoje, porque me reflectem num sentir próprio e porventura diferente do de ontem.

    É muito bom ter amigos assim...mesmo que não sejam muitos. São eles o meu porto de abrigo. E muitas vezes a minha terapia mais perfeita...

    Na verdade, sei bem que não seria o que hoje sou, sem uns e sem os outros.

    dulce ac

    ResponderEliminar