sábado, 18 de dezembro de 2010

Manjedoura



Senhor, de todas as perguntas com que Tu me deixas,
há uma que cresce dentro de mim:
"Que fazes do meu tempo?".

Sabes, perco-me nas tarefas, nas voltas a dar,
nesta e naquela responsabilidade, num imprevisto...

E no meio disso tudo, confesso,
o tempo da minha vida assemelha-se
mais a uma fuga do que a uma sementeira.

Neste Advento queria pedir-te luz,
para o modo de viver e de repartir o meu tempo.
Ajuda-me a realizar o meu trabalho e o meu lazer,
o meu esforço e a minha pausa
como tempos de dádiva e de encontro.
Como tempos que não sejam apenas tempo,
 mas circulação de entusiasmo e afecto, circulação de vida.

Peço-te que a minha mão aberta,
se torne muitas vezes manjedoura.


José Tolentino Mendonça
 .

1 comentário:

  1. "Como tempos que não sejam apenas tempo,
    mas circulação de entusiasmo e afecto, circulação de vida"

    Tempo para...
    Um sorriso, um abraço, um beijo

    Tempo para...
    Que cada um possa ir ao seu próprio "encontro"
    e um Tempo para chegarmos a Outros numa revelação de esperança

    E sobretudo que tenhamos todos um Tempo de autenticidade, onde possamos sentirmo-nos felizes...mais felizes

    dulce ac

    ResponderEliminar