terça-feira, 2 de novembro de 2010

Pergunta fundamental

“Morre alguém:
É como passos que param…
E se fosse uma partida para nova Etapa?

Morre alguém:
É como árvore que cai…
E se fosse uma semente a germinar uma Terra nova?

Morre alguém:
É como uma porta que se fecha…
E se fosse uma passagem abrindo-se
para outras Paisagens?”

De facto, a morte continua sendo o grande enigma da condição humana…
Será a Morte o ponto final absoluto ou apenas o fim de um estado de vida
que, como semente ao morrer, se abre para um futuro insuspeitado?
Da resposta a esta pergunta depende muito a nossa postura perante a vida, ou seja:
o enfoque e o sentido que lhe damos…

E quem nos dá a resposta?
Como diz E. Chillida: “Da morte, a razão diz-nos que é definitiva. Da Razão, a razão diz-nos que é limitada…”

Se ficamos, pois, pela voz da razão, estamos perante uma vida sem futuro ou um futuro sem vida…
Mas a consciência dos limites da razão face a este mistério
pode abrir-nos para outra Luz e outras respostas:
A Luz e as respostas que nascem da Fé em Jesus Cristo.
É Ele que nos garante que Deus é um Deus de vivos e não de mortos,
que o seu Amor é fiel e imutável e que, na morte, nos acolhe como Filhos
para um abraço de Comunhão e de Vida para sempre.

Por isso proclamamos: “Creio na Vida Eterna.”
.

Sem comentários:

Enviar um comentário