sábado, 19 de junho de 2010

Desculpa, Mãe!



Desculpa-me depois de tanto tempo
Por que te machuquei aquela vez
Desculpa-me por tantos contratempos
Que a minha rebeldia te causou

Desculpa, minha mãe
Por não ter dito um Deus te pague
Desculpa minha mãe por não saber te agradecer
Desculpa pelas faltas de respeito
Desculpa este teu filho que cresceu

Eu lembro aquela sopa no vestido
E aquela colherada no nariz
Eu lembro aquele tombo na calçada
E aquela acusação tão infeliz

Desculpa-me mamãe por te tentar fazer de boba
Que bobo que era eu quando tentei de enganar
Desculpa-me por tantos descaminhos
Desculpa este teu filho que cresceu.

O tempo caminhou depressa
E apesar dos meus defeitos acabei virando alguém
Teu coração não tinha pressa
Sabia que eu iria me encontrar

Agora que eu me achei procuro a mãe que eu tive
Pra dar-lhe um beijo agradecido e atrasado mas feliz
Desculpa-me mamãe pela demora imensa
Leva-se uma vida pra entender o que é ter mãe ...

Padre Zezinho
.

2 comentários:

  1. "Leva-se uma vida pra entender o que é ter mãe ..."

    Mas que bom que é quando o entendemos..
    quando finalmente percebemos que...

    "é necessário abrir os olhos e perceber que as coisa boas estão dentro de nós, onde as coisas boas não precisam de motivos nem os desejos de razão. o importante é aproveitar o momento e aprender a sua duração, pois a vida está nos olhos de quem sabe ver"
    (Gabriel Garcia Marquez)

    Um abracinho amigo dou hoje à mãe ternura que conheço e se chama Anabela.

    dulce ac

    ResponderEliminar
  2. Que lindo Padre Nuno, queria eu ter escrito assim um poema à minha mãe, que muito amava, mas que o senhor já levou para si.
    Paz e bem!
    Maria

    ResponderEliminar