terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Hino de amor



Andava um dia
Em pequenino
Nos arredores
De Nazareth,
Em companhia
De San José,
O bom-Jesus,
O Deus-Menino.
Eis senão quando
Vê num silvado
Andar piando
Arripiado
E esvoaçando
Um rouxinol,
Que uma serpente
De olhar de luz
Resplandecente
Como a do sol,
E penetrante
Como diamante,
Tinha attrahido,
Tinha encantado.
Jesus, doído
Do desgraçado
Do passarinho,
Sai do caminho,
Corre apressado,
Quebra o encanto,
Foge a serpente,
E de repente
O pobrezinho,
Salvo e contente,
Rompe n'um canto
Tão requebrado,
Ou antes pranto
Tão soluçado,
Tão repassado
De gratidão,
De uma alegria,
Uma expansão,
Uma cadencia,
Que commovia
O coração!
Jesus caminha
No seu passeio,
E a avesinha
Continuando
No seu gorgeio
Em quanto o via;
De vez em quando
Lá lhe passava
À dianteira
E mal poisava,
Não afrouxava
Nem repetia,
Que redobrava
De melodia!
Assim foi indo
E foi seguindo
De tal maneira,
Que noite e dia
N'uma palmeira,
Que havia perto
Donde morava
Nosso Senhor
Em pequenino,
(Era já certo)
Ela lá estava,
A pobre ave,
Cantando o hino,
Terno e suave,
Do seu amor
Ao Salvador!
João de Deus
.

5 comentários:

  1. fAZIA PARTE DO MEU LIVRO DE LEITURA DA 4ª CLASSE.
    NINGUÉM SE ESQUECE DESTE HINO.

    ResponderEliminar
  2. Existem nas recordações dos homens, coisas que só
    se revelam aos amigos. Há outras como este HINO
    DE AMOR, que deveriamos recordar e transmitir
    constantemente

    ResponderEliminar
  3. UM CAMINHO A SEGUIR

    "Vamos colorir a vida deixando o mundo
    florir com flores do campo, rosas de amor, tulipas de paz e margaridas de esperança..."
    (Guimarães Teixeira, in Zimbórios 10-02-01)

    E do passarinho rouxinol alcancemos o seu caminho
    seguindo-o no seu canto noite e dia
    e fortalecidos o sejamos nessa alegria de nos abraçarmos a Jesus
    numa ária belíssima à Vida

    que não protelemos e céleres Os alcancemos nesse caminho de tantas flores...
    túlipas de paz e margaridas de esperança
    rosas de amor

    Muito bonito este hino.
    dulce ac

    ResponderEliminar
  4. Ainda a propósito do texto maravilhoso de João de Deus, partilho convosco um poema de Alberto Caeiro, intitulado

    "O Amor É uma Companhia

    O amor é uma companhia.
    Já não sei andar só pelos caminhos,
    Porque já não posso andar só.
    Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
    E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.
    Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.
    E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar.

    Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.
    Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.
    Todo eu sou qualquer força que me abandona.
    Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio."

    dulce ac

    ResponderEliminar
  5. Olá meu filho
    Este hino, aprendi-o na primária, Achava-o tão lindo que o sabia de cor. Há tempos pus no meu blog imagens de alguns livros que usei na primária, Achei graca encontrá-los na net.
    Beijos cheiinhos de saudades

    ResponderEliminar