sábado, 13 de junho de 2009

A força do meu verdadeiro ser



Eu visualizo-me a desfrutar de uma consciência de unidade com a presença e o poder de Deus.

A minha sabedoria e o entendimento do meu espírito expandem-se e eu exprimo a beleza interior e a força do meu verdadeiro ser.

A ordem divina está presente nas minhas experiências e eu disponho de bastante tempo para fazer tudo aquilo que quero fazer.

Eu exprimo sabedoria, compreensão e amor em todas as minhas relações, e as minhas palavras são divinamente orientadas.

Eu visualizo-me a expressar a energia criativa do Espírito no meu trabalho, na minha escrita e no meu discurso.

Ideias divertidas e encorajadoras fluem pela minha consciência e eu expresso essas ideias, fazendo com que se manifestem plenamente.
.

2 comentários:

  1. EU


    Revejo-me no que aqui está escrito mas atenção:

    Nós não somos meros autómatos de Deus!

    Exactamente porque dispomos do livre arbítrio, do discernimento, da Liberdade, as nossas acções podem ir num como noutro sentido e se não nos soubermos distanciar do que fazemos desenvolvendo o espírito crítico, no exacto momento em que possamos julgar ir ao encontro de Deus, Dele nos poderemos estar, irremediavelmente, a desencontrar.

    E aí de pouco adianta invocar o Seu Santo Nome, porque a invocação será feita em vão!


    Jaime Latino Ferreira
    Estoril, 13 de Junho de 2009

    ResponderEliminar
  2. LEITURAS E HOMILIAS


    É exactamente como o que, muitas vezes, diferencia as Leituras Sagradas das homilias:

    As homilias, prédicas do púlpito e por muito que invoquem o Santo Nome são, quantas vezes (!?), redutoras das Primeiras, tão redutoras como a diferença que vai do testemunho à retórica sem que esta última se preocupe, tão pouco, em ter uma correspondência, congruência com o real!


    Jaime Latino Ferreira
    Estoril, 15 de Junho de 2009

    ResponderEliminar