sábado, 7 de março de 2009

Dá-me, Senhora



Dá-me, Senhora,

Um pouco da tua força...para a minha fraqueza
Um pouco da tua coragem...para o meu desalento
Um pouco da tua compreensão...para o meu problema
Um pouco da tua plenitude...para o meu vazio
Um pouco da tua rosa...para o meu espinho
Um pouco da tua certeza...para a minha dúvida
Um pouco do teu sol...para o meu inverno
Um pouco da tua disponibilidade...para o meu cansaço
Um pouco do teu rumo infinito...para o meu extravio
Um pouco da tua neve...para o meu barro
Um pouco da tua serenidade...para a minha inquietude
Um pouco da tua chama...para o meu gelo
Um pouco da tua luminosidade...para a minha noite
Um pouco da tua alegria...para a minha tristeza
Um pouco da tua sabedoria...para a minha ignorância
Um pouco do teu amor...para o meu rancor
Um pouco da tua pureza...para o meu pecado
Um pouco da tua vida...para a minha morte
Um pouco da tua transparência...para o meu escuro
Um pouco do teu filho Deus...para teu filho pecador

Com todos esses poucos,
Senhora, eu terei TUDO.
.

1 comentário:

  1. UM POUCO

    Um pouco que muita seja
    A vontade com que veja
    Por mais que me sinta só
    Pois por mim que sinta dó

    Dó é nota benfazeja
    Da escala a primeira proteja
    De todas que seja a tónica
    Força Tua supersónica

    Dai-me um pouco desse crer
    Minha vontade de Ser
    O tempo em mim se traqueja
    Força boa se almeja


    Jaime Latino Ferreira
    Estoril, 12 de Março de 2009

    ResponderEliminar