quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Trocar as vestes



Gostaria de partilhar uma imagem muito simples do que é, no fundo, o mistério do Natal, recorrendo a uma narração do escritor russo Tolstoi.

O autor descreve-nos a história de um certo Imperador, que pediu aos seus sábios que lhe mostrassem Deus, para que O pudesse ver. Os sábios não foram capazes de satisfazer o seu desejo de “ver a Deus”. Então um pastor, que estava a regressar do campo, ofereceu-se prontamente para assumir essa dificíl tarefa. O Imperador aprendeu do Pastor, que os seus olhos não podiam, por si mesmos, ver a Deus. Mas então o soberano quis pelo menos saber o que é que fazia Deus.
- "Para poder responder a esta sua pergunta - disse o pastor ao soberano - devemos trocar as vestes".
Com hesitação, mas estimulado pela curiosidade, o Imperador concordou; entregou as suas vestes reais ao Pastor e fez-se vestir com o hábito simples de um homem pobre. E eis que chega a resposta do pastor:
- "É isto mesmo que Deus faz".

De facto, o Filho de Deus verdadeiro deixou o seu esplendor divino: como diz São Paulo "...despojou-Se de Si mesmo, assumindo a condição de servo e tornando-se semelhante aos homens; aparecendo com a forma humana, humilhou-se a si mesmo... até à morte de cruz" (Fil 2, 7-8).

Deus realizou connosco uma espécie “troca sagrada”: assumiu o que era nosso, para que pudéssemos receber o que era seu, e deste modo tornar-nos semelhantes a Deus». É no fundo esta a mensagem do Natal. Ela traz-nos alegria e esperança.

Um Natal feliz e abençoado!
.

Sem comentários:

Enviar um comentário