quinta-feira, 28 de junho de 2012

O iniciar do triunfo do Imaculado Coração de Maria



Em setembro de 1911, Jesus solicitava à mística belga, Berthe Petit, que as pessoas invocassem o Doloroso e Imaculado Coração de Maria. Alguns anos se passaram e, em 31 de maio de 1915, o Papa Bento XV recomendou, igualmente, que as criaturas se dirigissem ao Doloroso e Imaculado Coração de Maria. Já no dia 28 de setembro do mesmo ano, ele ampliou este gesto, outorgando indulgência de cem dias a quem invocasse a Mãe de Deus com tal título.

No dia 7 de março de 1916, o Cardeal Mercier anunciava a intenção de consagrar sua diocese ao Doloroso e Imaculado Coração de Maria. Em 1917, por ocasião do Natal, o Cardeal Bourne, primaz da Inglaterra, consagrou sua pátria, solenemente, ao Coração da Mãe Santíssima.

A partir de 13 de maio de 1917, a Virgem apareceu em Fátima e, após haver mostrado, aos três pastorinhos, uma visão das almas que caem no Inferno, declarou: "Para salvá-las, Deus deseja estabelecer no mundo a devoção ao meu Coração Imaculado", prometendo que "No final, meu Coração Imaculado triunfará." E o Tratado de Versalhes, definindo o término da Primeira Guerra Mundial, foi finalmente assinado no dia 28 de junho de 1918, dia da Festa do Imaculado Coração de Maria.

Sem comentários:

Enviar um comentário